Sobre o nosso Projeto, sobre nossa amizade

Caríssimos, gostaria de agradecer copiosamente o empenho e cuidado em seguir as orientações que apresentei-vos na nossa última direção espiritual. Obrigado por de maneira tão repentina iniciarem a correspondência entre nós. Peço perdão pela demora no meu parecer, pois apesar do que se possa pensar, a vida cá no mosteiro é bem cheia e não gozo de tanto tempo livre. Todavia, esforçarei-me em responder rapidamente.
Os 3 reis-magos juntos seguiram a estrela de Belém até encontrar o menino-Deus. Iluminados pela Verdade estamos a buscá-la também através desta correspondência que realizamos. Somos então, a partir de agora, como já havia lhes dito, Baltasar, Gaspar e Melchior… utilizemos esses nossos novos nomes, pois assim quis o Senhor que nos referissimos a nós mesmos.
É bem verdade que dentre nós 3, sou mais adiantado nas questões espirituais, estando moradas à frente de vocês e também por isso os dirijo espiritualmente.
Todavia, não tenho a inteligência de Baltasar, tampouco a poesia de Gaspar.
Ora, ora. Quão maravilhosa a dialética em Baltasar, a poética em Gaspar…
Espero que meu texto, mais humilde que o de vocês sirvam-lhes de algo, pois bem sei que os escritos dos senhores me serão muito oportunos e proveitosos.
Com Gaspar iluminaremos a imaginação, com Baltasar o intelecto. Sobre a minha escrita, não esperem muito. Minha vontade era apenas ler os vossos textos, entretanto como obedeceram meus pedidos até agora, com tanta solicitude, poderia eu negar-lhes algo?
Agradeço a Deus pela amizade que nasceu entre nós… jamais pensei que poderia me ser salutar ser amigo de pessoas do século. Entretanto, provo Deus através dessa amizade, que mesmo se restringindo a cartas e visitas no locutório, me animam a alma. Ainda me impressiono pelos modos como age o Senhor. Ele que é tão velho, mas tão jovem, sempre fazendo mais do que podemos pedir, muito mais do que podemos querer.
Seja Ele sempre, para sempre adorado!